quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Que tormento este, meu deus !

O País, em cumprimento do programa do governo, vai empobrecendo de forma acelerada.
O numero de desempregados aumenta de forma consistente.
As falências sucedem-se ao ritmo previsto.
Ninguém investe.
O comércio está em regressão.
O fisco galopa sobre penhoras e perde receitas.
Quaisquer que sejam os indicadores, são sempre negativos.
As criticas chegam de quase todos os quadrantes sociais.
A maioria dos comentadores vai concluindo que o rumo traçado só pode conduzir ao desastre e os dados que se vão conhecendo assim o comprovam.
Entretanto o partido socialista cavalga alegremente a situação de que foi o principal responsável e imagine-se, poderá em breve regressar ao poder.
Que gente é esta que por aqui habita que não é capaz de perceber que toda esta classe politica é pouco menos que execrável ?
Ainda não perceberam que tudo foram fazendo para se irem alternando no poder ao mesmo tempo que iam colocando os seus apaniguados em organismos do estado e empresas publicas ?
Ainda não perceberam que o peso do estado é excessivo em relação ao País e todas as empresas publicas acabam por ser deficitárias pela completa irracionalidade com que as suas estruturas foram sendo sobre carregadas pelos rapazes que iam saindo das incubadoras partidárias ?
Ainda não perceberam que só um vasto movimento de forças conscientes e contestatárias poderá devolver alguma dignidade e eficácia a uma futura ação governativa ?
É urgente um boicote nacional a todos os órgãos de estado !
É necessário parar a irresponsabilidade que vai empurrando o nosso País para a desgraça.
Será que alguém consciente e informado ainda pensa que a alternativa poderá sair do partido socialista ?
Entretanto este País merdoso e medroso, vai evoluindo ao som de uma comunicação social amestrada e paga para cumprir programas  focalizados na formatação de consciências coletivas.
É assim natural que sejamos obrigados a ouvir o primeiro ministro dizer em ar sério e sereno, que estamos no rumo certo ! ?
Isso, porque mais de 80% do programa da troica já está cumprido e em consequência todos iremos beneficiar das medidas que têm estado a ser adotadas !!!
Ficamos atónitos, mas não espantados.
É surpreendente que perante o desagregar das principais estruturas de suporte vital de uma Nação, o primeiro ministro nos venha dizer que o rumo traçado irá gerar bons resultados no futuro.  
Aquilo que vemos e sentimos é que muito em breve teremos um País totalmente destroçado.
É natural que após a hecatombe sejamos obrigados a sair de novo da miséria e começarmos a caminhar para se poderem recuperar muitas das situações devastadas pela incompetência, ignorância e incúria daqueles que nos últimos 40 anos se foram apropriando do País.
Caros amigos; por muito que nos esforcemos não conseguimos vislumbrar quais são os efeitos positivos de muitas das medidas até agora tomadas.
Aquilo que vemos e sentimos é um País a caminho da desagregação total, onde as falências, o desemprego, o desmembramento de estruturas funcionais em quase todas as actividades, acaba por liquidar o tecido empresarial de base que é a alavanca necessária para o desenvolvimento.
Tudo tem sido feito sem que alguma vez qualquer membro deste governo tenha sequer tentado explicar o que é que iria resultar das politicas que têm norteado a ação governativa.
Perdão, estamos a ser injustos.
De facto o primeiro ministro foi claro ao ter anunciado que o objetivo seria o empobrecimento.
Parece evidente que isso foi conseguido e até se está a ultrapassar de forma significativa esse objetivo.
Será que perante a nossa incapacidade em entender a profundidade do programa que tem estado a ser seguido, deveremos assumir um papel de menoridade intelectual perante estas luminárias ?
Será que a nossa passividade é justificada ou admissível ?
Será que a incompetência instalada ainda não é suficientemente perceptível para a grande maioria da população ?
O que é que prende o estado de revolta que se manifesta em tantos comentadores ?
Quem é que solta o País reativo que urge acordar ?

7 comentários:

menvp disse...

É FAVOR NÃO ESQUECER: é um facto incontornável a existência de ciclos económicos... todavia, como é óbvio,... muito muito mais importante do que esta ou aquela crise económica... temos o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA!!!
.
A luta pela sobrevivência envolve:
-1- capacidade de renovação demográfica;
-2- capacidade de auto-defesa perante aquele pessoal que anda numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios.

JotaB disse...

Nestes últimos estive na Beira Alta e no Minho, além da Beira Litoral, onde resido. Falei com muitas pessoas, sobretudo conhecidas. Todas exprimem um misto de sentimentos de revolta e de impotência. Todas, quase sem excepção, esperam que algo aconteça que surja um "salvador", alguém que nos acuda!

Diogo disse...

Não devemos esperar por nenhum Salvador que nos acuda ou por um Estadista que meta isto nos eixos.

Temos de ser nós, simples cidadãos a tratar da situação. Formando pequenos grupos e abatendo, um a um, a escumalha que, desde o financeiro ao comentador de televisão, passando pelo político, nos estão a atirar a nós, aos nossos filhos e aos nossos pais para o inferno.

A revolta do século XXI será, tal como a comunicação, levada a cabo por pequenos grupos, ligados em rede, bem informados sobre a localização do inimigo, e rápidos e letais a atuar.

Essa pirâmide de banqueiros, políticos a soldo e comentadores venais, que andam a destruir o país, será desmantelada pedra por pedra.

menvp disse...

«... A revolta do século XXI será, tal como a comunicação, levada a cabo por pequenos grupos...»

-> Conversa de parolo... porque PRECISAMOS TODOS!...



RÉDEA CURTA
- Todos os gastos do Estado (despesas públicas superiores a - por exemplo - 1 milhão de euros) que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...] devem estar disponíveis para ser vetados durante 96 horas pelos contribuintes.

{nota: a forma de vetar... deverá ser através da internet no (que deverá ser criado) "Portal dos Referendos" -> aonde qualquer português com número de contribuinte, e maior de idade, poderá entrar e participar}

Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.

Resumindo: os políticos devem mantidos com a rédea curta... assim sendo, PRECISAMOS QUE TODOS os contribuintes estejam atentos aos gastos de dinheiro feitos dos políticos; leia-se, todos os contribuintes devem estar atentos ao "Portal dos Referendos".

{um ex: a transferência de dinheiro do contribuinte para a... nacionalização do negócio 'madoffiano' BPN nunca se realizaria: seria vetada pelo contribuinte!}

José Gonçalves Cravinho disse...

Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velho(88anos)
acho que não será fácil mudar a mentalidade política em Portugal para se conseguir um Governo que sirva os habitantes dêste País à beira-mar plantado,porque a Nação está dividida politicamente pelos
17 Partidos Político cuja acção mantém o Povo desunido e são vários os ingredientes usados para tal, desde a acção da Igreja até à doença da Bola,o Futebol que cria rivalidades de tipo tribal entre Cidades e até mesmo entre Bairros, para gozo dos Poderosos.

Partido Português dos Direitos Humanos disse...

Caros

Acompanho o V/ blog bem como outros que têm vindo a desmascarar a índole criminosa, ilegítima e usurpadora do Regime.

Como sabemos, o País vive em estado de letargia. Já nem é lícito falar de crise, a a corrução e o caos são completos e inundam-nos como uma avalanche.

Com palavras e manifestações pontuais e classistas não mudamos nada. A ignorância de políticos e massa de eleitores minoritária conduziu-nos até este beco.

Julgo que a solução passa efectivamente pela criação criação de um grupo de acção popular que advogue a desobediência civil e o resgate do Estado de Direito.

Julgo até que a luta pelos Direitos Humanos em Portugal passa pela violência sobre um aparelho governativo obsoleto e despótico.

Este País mete nojo, envergonha od portugueses de bem.

Partido Português dos Direitos Humanos disse...

Alguém está disposto a fazer o que todos os portugueses no intímo querem fazer, para que nos salvemos desta seita maléfica e restauremos a Democracia, o Estado de Direito e o Mérito em Portugal?