sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Aqueles que roubam o País


Discute-se na A.R. o chamado ABONO dos POLÍTICOS, vulgo Orçamento do Estado.
As cenas são confrangedoras e podem ser vistas em directo.
O "facies" do Grande Aldrabão, assume agora um ar constrangido debaixo da mascara de pseudo sofrimento. A encenação patética agora exibida, apenas comprova o seu baixo índice moral e ético.
Não temos duvidas que se trata de um psicopata. Os sintomas assim o comprovam.
Infelizmente estamos rodeados por um conjunto de apalermados políticos, cuja única competência é sabujarem o chefe.
Garantem com isso o sistema que lhes permitiu chegar até aqui, beneficiando da inactividade de um povo manso e embrutecido que ainda não percebeu que anda a ser enganado.
ESTE ORÇAMENTO É APENAS MAIS UMA PENSÃO VITALÍCIA PARA ESTES POLÍTICOS.
AO PAÍS NÃO É APRESENTADA QUALQUER RESULTANTE POSITIVA DAS MEDIDAS ANUNCIADAS.
A unica garantia é UM FUTURO NEGRO.

E assim vai ser, pois o desemprego vai aumentar.
O crescimento económico irá estagnar e iremos mesmo entrar em recessão.
Os vencimentos das classes de menores rendimentos diminuem.
As prestações e apoios sociais sofrem cortes consideráveis e os impostos aumentam.
Todos vamos perder alguma coisa.
As sanguessugas do sistema irão no entanto continuar a manter em funcionamento os Restaurantes de referência, os Stands de viaturas de topo, as lojas de artigos exclusivos, etc.
Vão também disponibilizar novas bancas para engraxadores de sapatos.
Será assim cumprida uma das promessas de novos empregos em tempos feita por essa luminária que está a "governar" o País.
Estão no entanto a chegar ao fim da viagem.
Conduziram-nos a um beco de difícil saída em que apenas ficará um historial de mentiras, incompetências, associações perversas, ajuntamento com gangs do lixo e da sucata, a que acresce esse despudor maior de terem feito da mentira o principal suporte da governação.

Tudo isto é tanto mais revoltante, quanto mais nos vamos apercebendo da forma como esta gente se apropriou do Erário Publico.
Enquanto ás classes de menores rendimentos vão pedindo e justificando sacrifícios, estes bandalhos auferem vencimentos de dezenas de milhares de Euros, que vão sendo pagos pela fome e miséria a que conduziram esta Nação.
Para lá das viaturas , motoristas, cartão de crédito ilimitado, subsidio de habitação, despesas diversas, etc, actualmente cerca de 400 políticos podem acumular a pensão de reforma com a subvenção vitalícia do Estado. Isto desde 1985.
A partir desta realidade, prevista na lei 26/95, existe um número desconhecido de ex-titulares de cargos políticos que receberão por mês cerca de cinco mil euros em pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA) relativas à acumulação da reforma como deputado ou autarca com a pensão para toda a vida. Cavaco Silva e Manuel Alegre, são dois exemplos deste universo de beneficiários.
Entretanto o Ministério das Finanças tem sido questionado sobre a acumulação de pensões do Estado, mas, apesar de várias insistências, não tem dado resposta.
Com um universo de 399 beneficiários, segundo a CGA, em 2010 as subvenções vitalícias vão custar 8,8 milhões de euros. De Janeiro a Agosto deste ano, a despesa com esta regalia ascendeu a 6,2 milhões de euros, contra os 5,6 milhões de euros de igual período do ano passado.
Isto é imoral, vergonhoso e justifica uma reacção popular.

Mais uma vez nos disponibilizamos para enfrentar directamente esta canalhada politica.
Se houverem 20 pessoas disponíveis, propomos levar cartazes com a inscrição - De IMEDIATO para a RUA seu GRANDE ALDRABÃO - e fazermos de forma continua a passagem pela Rua de S.Bento, actual esconderijo do 1º ministro.
Poderá fazer a inscrição directamente para o nosso mail.
Contamos consigo.

ADENDA - Que ninguém se mexa. Deixem-nos brincar autênticamente com a nossa dignidade.
A acrescentar á desgraça anunciada, vamos sabendo que também vamos pagar a RTP na conta da electricidade, assim como taxas e multas numa verdadeira caça aos poucos proventos disponiveis.
Tudo isto e ninguém reage.
Os "valentões" das scuts, de quem se esperava muito pois diziam que tudo iriam fazer para impedir a sua entrada em funcionamento, já foram comprar os d.e.p. Gente determinada!!
Acordem, enquanto temos ainda algumas forças.
É que não vemos ninguém a disponibilizar-se para organizarmos uma acção contestativa.
Será possivel contar com a sua contribuição ?

posto por Carlos Luis

6 comentários:

JotaB disse...

Crónica semanal de Henrique Neto, publicada no semanário Jornal de Leiria:

Crónicas sobre o futuro
Despesa pública

Aseguir ao anúncio
das últimas medidas
do Governo destinadas
a fazer cumprir
o défice das contas
públicas, o Secretario Geral
do PS convocou uma reunião
da Comissão Política para dar
ao País a ideia de que as medidas
eram apoiadas pelo partido.
Para não correr riscos emitiu a
convocatória à última hora e
ocupou a maior parte da reunião
a falar, não sem garantir
que as primeiras inscrições fossem
dos seus mais fieis servidores.
Almeida Santos fez o resto
com a sua habitual rábula de
que já não há tempo, quando
alguma voz potencialmente critica
se dispunha a falar. Assim
vai a democracia interna do Partido
Socialista. Para a história,
ficou a aprovação do PS às medidas
do Governo e pela cabeça
de José Sócrates terá passado
o risco excessivo de convocar a
Comissão Nacional, mesmo
sabendo que a maioria dos eleitos
foram escolhidos a pente
fino. De facto, os dirigentes,
deputados, e gestores públicos
do PS, são, para todos os efeitos,
funcionários do partido, na
medida em que dependem do PS
para o seu sustento e das suas
famílias.
Ora foi exactamente isso que
o Secretario Geral do PS admitiu
na sua intervenção, ao referir
que a principal base de apoio
do partido está na administração
pública e de que isso condiciona
as reformas necessárias.
Por esta via o Primeiro
Ministro informou indirectamente
o PS das razões porque
não acabam os serviços inúteis,
os institutos, as empresas de
capital público e outros serviços
paralelos do Estado, ou porque
foi anulada a medida anunciada
de eliminar as duplas e triplas
reformas dos políticos e gestores.
José Sócrates não o disse,
mas nós sabemos que a maioria
dos cargos dirigentes e muitos
dos dirigidos, desde o Procurador
Geral da República aos
condutores e seguranças dos
ministérios, foram lá colocados
pelo partido. Ou seja, o Primeiro
Ministro admitiu assim a razão
porque a despesa do Estado só
pode ser reduzida cortando nos
rendimentos de todos os portugueses,
por necessidade de proteger
a base de apoio do Partido
Socialista. Claro que também
todos sabemos que é forte
a probabilidade de PSD fazer o
mesmo logo que chegue ao poder,
engrossando ainda mais a despesa
do Estado. Esta é, caros leitores,
a história do crescimento
da despesa pública em Portugal,
iniciada no tempo dos
governos de Cavaco Silva.
(continua...)

JotaB disse...

Quanto às medidas, os factores
universalmente referidos
na opinião especializada é de
terem chegado tarde e de terem
sido decididas á pressa, razão
porque são mais gravosas do
que seria necessário há um ano,
ou melhor ainda há dois ou três
anos, quando já eram por demais
evidentes os problemas da economia
portuguesa. A esse respeito
recordo o que disse o Primeiro
Ministro em Junho de
2010: “Aumentámos o IVA um
ponto percentual em todas as
taxas e aumentámos em um por
cento o IRS em todas as pessoas
(....), é suficiente para este objectivo
orçamental e para o do ano
seguinte”. No mês seguinte voltou
a afirmar: “(Rejeitamos) em
absoluto a possibilidade de
aumentar os impostos”. Entretanto,
em Novembro de 2009,
tinha repetido a promessa com
que tinha ganho as eleições:
“Não haverá qualquer subida
de impostos (até ao final da
legislatura.) Temos consciência
de que se trata da receita errada”.
Como é hoje evidente e como
sempre aqui escrevi, José Sócrates
não sabe do que fala e não
lhe resta qualquer credibilidade,
havendo apenas que esperar
que saia da cena política. A
questão que se coloca agora é
a de saber se o Partido Socialista
vai continuar o percurso
dos últimos anos que conduziu
Portugal a uma das mais graves
crises da sua história, ou se
o PS ainda tem uma base de
coragem e de honradez suficientes
para mudar de rumo e
colocar o interesse nacional acima
dos mesquinhos interesses
partidários. As eleições recentes
para as Federações foram
mais do mesmo e não agouram
nada de bom. Resta a hipótese
do próximo congresso escolher
algum secretário geral sério que
queira correr o risco de limpar
o partido. Em qualquer caso,
os actuais dirigentes deveriam
ser julgados por incúria e por
terem destruído o capital de
confiança, de prestigio e de credibilidade
amealhado por outros
ao longo dos anos.

HENRIQUE NETO
empresário
netohenrique8@gmail.com

JotaB disse...

Acabo de ouvir, mais uma vez, as palavras do juiz jubilado CARLOS MORENO, numa entrevista conduzida por Mário Crespo, no jornal das 9, da SIC Notícias.
É simplesmente aterrador ouvir tudo aquilo nos diz, mesmo conhecendo, no essencial, aquilo que nos diz.
Irei, logo que possa, comprar o seu livro “COMO O ESTADO GASTA O NOSSO DINHEIRO”

nuno disse...

O nosso maior problema é que o povo português é um povo conformista. Vejam o que aconteceu em França com as novas medidas do governo. Não demorou muito a que tudo voltasse a ser como antes. O que é preciso é agir, porque isto de nos queixarmos em blogues e nada fazermos, não vale nada a ninguém...

Karocha disse...

Conheço muito bem o Henrique Neto.
Grande Homem!!!

el comunista disse...

Passem pela "achispavermelha.blogspot.com" e comentem as nossas opiniões, se concordares com elas, divulga-as entre os teus amigos, se não concordares, divulga na mesma.
Nuno concordamos inteiramente contigo, junta-te a nós.
Sê solidário com a "A CHISPA!" e divulga-a o mais que poderes.

Saudações Revolucionárias
A CHISPA!