quinta-feira, 7 de maio de 2009

Henrique Medina Carreira

E não há solução ?
Todos os que assistiram á entrevista conduzida recentemente por Mário Crespo, ainda retêem a imagem deste jornalista quando no final e após mais uma consistente exposição do Dr.Medina Carreira sobre a grave situação do País, lançou a pergunta. E não há solução ???? Não há......, respondeu o dr.Medina Carreira.
Ainda hoje, Mário Crespo se deve interrogar se estaremos de facto condenados a não ter soluções para o País.
Para os que agora entram em contacto com este Blogue, aconselhamos a ler o post do mês de Abril, Medina Carreira - Às 4 em ponto da tarde. Ontem tivemos a oportunidade de ter mais um encontro, o que para nós é um previlégio, pois escutar Medina Carreira é sentir a consistência das ideias e o acerto dos raciocínios. Esta possível empatia, que da nossa parte existe, resulta em grande medida do facto de termos sentimentos idênticos em relação á situação económica do País, á classe politica e ao Sistema Politico. É idêntica a percepção que temos relativamente á incapacidade dos principais responsáveis politicos entenderem que a Economia se entrelaça com todos os aspectos da sustentabilidade do Estado. Estamos ambos conscientes da incapacidade dos actuais politicos entenderem o País, pois a sua incompetência alicerça-se na falta de experiência de vida vivida que quase todos revelam. Sobeja para ambos uma conclusão. Esta gente não tem alternativas de vida e vai tentar prolongar ao máximo o controlo que actualmente detem do aparelho do Estado e não vai possibilitar por exemplo a introdução de um Sistema tipo Presidencialista que poderia trazer novas dinâmicas de actuação e um arranjo mais adequado nas relações Institucionais visando mais acção política e menos partidos.
De facto perante este panorama teriamos de concluir que não há solução!
Mas para agravar ainda mais o problema e considerando a possibilidade de um sistema Presidencialista, a questão que se põe é. Quem é o candidato? Onde é que ele está ? A esta pergunta, pela primeira vez notei que o Dr.Medina Carreira não respondeu de imediato. Disse que ainda não tinha pensado no assunto. Sobre isto limitei-me a dizer que já tinha pensado e que até já o tinha escrito no Post acima citado. A conversa ficou por aqui. Neste aspecto.
O objectivo desta reunião era para abordarmos com o Dr.Medina Carreira o nosso projecto de intenções relativamente ao conjunto de ideias que estamos a desenvolver e que poderão servir de referência e contributo para a saída da crise onde estamos a ficar mergulhados. A diferença fundamental que irá ser visivel naquilo que iremos propor é que são ideias que resultam das experiências vividas por homens que vão passando pela vida conduzindo projectos, lutando com burocracias, sujeitando-se a um sistema judicial inoperativo, suportando uma máquina fiscal cega e muitas vezes sem sentido, ganhando umas vezes e perdendo outras, conhecendo outros povos e outras formas de estar, avaliando e sendo avaliados e acima de tudo conhecendo a vida e as coisas que por vezes são essenciais e que só se encontram quando se é obrigado a exceder por vezes os limites. Tudo isto estará em breve nas mãos do dr. Medina Carreira.
Vamos ver se poderá sair daqui um contributo com importância para o País. Gostariamos de ser nós a levar a boa nova ao Mário Crespo e dizer-lhe. É possível, talvez haja solução.
Esta possibilidade e as condições para a mesma ser exequível, iremos abordá-la nos posts seguintes.

8 comentários:

Angela Maria disse...

Caros Amigos da Força, como me identifico na íntegra com o V/ projecto e admiro muito esse Homem carismático e inteligente, deposito aqui o meu voto de confiança e de disponibilidade de colaboração. Muito Grata pela Esperança que colocam no futuro deste nosso Portugal.

amafiaportuguesa disse...

A verdade é que a economia nacional e internacional está a chegar ao fim de um ciclo de esterilidade enorme, cujos únicos fôlegos ainda se medem pelo conceito de "economia-cobradora de dívidas" ou "economia-consumista".

A grande máquina da indústria e do comércio são obviamente as primeiras a sofrer com esta paragem, e atrás vão todas as pessoas, indivíduos, que dela dependem. Não somos excepção.

Para agravar a situação, os políticos do PS têm uma postura arrogante e aproveitam-se desta fraqueza dos mais necessitados para tentarem fazer prevalecer princípios tão penalizantes como a tentativa de instauração de uma ditadura, em pleno início do séc. XXI, numa altura em que ninguém acreditaria ser isso possivel...!

Força Emergente disse...

Olá Angela Maria
Embora excessivas, agradecemos as suas palavras. Quero no entanto acrescentar que somos acima de tudo DETERMINADOS. E isso algumas pessoas do "establishment" sabem. Se as coisas evoluirem como esperamos, pode estar certa que verá a Força Emergente na 1ª fila do combate contra este Sistema e esta gente. Acrescento mais; É provável que no auge da crise consigamos contribuir de forma marcante para o nascimento de um novo País então enquadrado na 4º Republica. Com gente séria e um Sistema Politico que garanta a possibilidade do Povo VOTAR tanto para para eleger como para demitir quem não cumpre as promessas eleitorais.
Contamos com a Angela Maria. Obrigado.

Força Emergente disse...

Caro Pedro
A Máfia Portuguesa continua a demonstrar uma capacidade analítica de superior qualidade e só beneficiamos com os vossos comentários.
Obrigado

Força Emergente disse...

INFORMAÇÃO

Iniciamos ontem a inserção de posts nos Blogues do JN, - Gerir Forças e hoje- O desepero de Socrates. Se tiverem curiosidade http://jn.sapo.pt/blogues/

amafiaportuguesa disse...

Caro Dr. Carlos Luís,

agradeço desde já o seu incentivo e dedicação permanente e incansável. Da minha parte, como aliás já sabe, pode contar com todo o apoio que me seja possivel dar à Força Emergente.

Ainda relativo a este post, tenho a dizer que da mesma forma que esta máfia instalada se está a comportar como a Gestapo Nazi para com os que acreditam num Estado de Direito, é preciso tomar medidas de excepção urgentemente.

O Governo deve cair pela mão revoltosa do povo português, o mais depressa possível, disso já não há dúvidas. Depois todos os grupos mafiosos (Sociedades Secretas e Clubes Privados) têm de ser extintos e os corruptos julgados e banidos da sociedade - uma espécie de tribunal de Nuremberg. Os partidos do centro (tradicionalmente mais votados) ou fazem uma limpeza nas suas hostes ou serão impedidos de exercerem as suas funções: fecham a "loja", literalmente. As leis actuais têm de ser todas revistas e simplificadas. Nos anos 50 os diplomas legais eram simples e facilmente aplicáveis; não existiam para infernizar a vida das pessoas como hoje nem para criar um fosso ainda maior entre ricos poderosos e mafiosos de pobres impotentes e miseráveis.

E quanto à Europa, já chega de sermos uns paus mandados de um bando de nazis, sentados no parlamento europeu, e que se limitam a defender os interesses dos poderosos grupos económicos internacionais, todos nas mãos de maçons, illuminati's e banqueiros mafiosos.

Não temos que pertencer a esta corja. Somos poucos mas podemos fazer a diferença nesta Europa manipulada pela economia da "cobrança de dívidas" instaurada pelos políticos das duas últimas décadas...!!!

amafiaportuguesa disse...

Do livro "UTOPIA" de Thomas More, o sucessor do cardeal Wolsey, em 1529, como chanceler do rei Henrique VIII de Inglaterra, podemos extrair uma parte importante sobre o sistema de magistratura ideal por ele idealizado, para uma sociedade perfeita:

"De três em três dias, ou mais frequentemente, em caso de necessidade, os traníboros reúnem-se com o príncipe (eleito pelo povo e pelos magistrados), em conselho, para decidir dos negócios públicos. No caso de processos entre os cidadãos, processos aliás raros, deliberam e concluem-nos com rapidez. A cada sessão do conselho assistem dois sifograntes, mas nunca os mesmos de sessão para sessão. É da lei que os assuntos de interesse geral sejam discutidos no conselho durante três dias antes de serem votados, aprovados e convertidos em lei."

"É punida com a morte a reunião fora do conselho para deliberar sobre assuntos públicos, ou então fora dos locais normais de assembleia. Esta determinação tem por fim impedir que o príncipe e os traníboros facilmente conspirem para oprimir o povo com a tirania ou que alterem a forma de governo. Assim, os assuntos de alta importância são enviados à assembleia dos sifograntes, que os comunicam às famílias. Em seguida, depois de consulta geral, apresentam a sua opinião ao Senado. Em certos casos, o assunto é levado à consulta da assembleia geral de toda a ilha."

Força Emergente disse...

Caro Pedro
Sei perfeitamente quão valiosa será a sua contribuição e tal como já lhe transmiti iremos convidá-lo a participar na discussão prévia das ideias que o Dr.José Simões Coelho está a sistematizar. Isso poderá ser um passo extremamente importante para podermos ganhar visibilidade e acesso aos meios de comunicação. O facto do Dr.Medina Carreira nos estar a prestar esta colaboração, será determinante para podermos entrar na discussão publica com argumentos e ideias que no panorama Nacional não vemos mais ninguem com capacidade ou oportunidade para apresentar. Este trabalho do Dr.Simôes Coelho foi registado em 1997 e tem portanto mais 12 anos em cima de novos desenvolvimentos e confirmação de dados. Não é algo feito á pressa e com conteùdo duvidoso ou oportunista. Estamos portanto a trabalhar de forma árdua para ver se ganhamos CORPO SUFICIENTE para entrar na discussão publica dos problemas do País e muito em especial na defesa de soluções que irão certamente ao encontro do sentir das populações. O meu amigo mesmo agora focou um desses aspectos essenciais que urge rever e que é o amontoado de leis e o funcionamento do sistema judicial.
Obrigado pela sua disponibilidade e pelos seus contributos