terça-feira, 9 de junho de 2009

JUVENTUDE EMERGENTE

Um MOVIMENTO de JUVENTUDE

No dia certo, hoje, foi apresentado o Blogue JUVENTUDE EMERGENTE, especialmente pensado para poder interessar ás camadas mais jovens da população.
http://juventude-emergente.blogspot.com/
Foi no dia certo, porque ontem se enterrou uma parte considerável da arrogância e da pouca vergonha que imperou no País até ás 20h de Domingo, 7 de Junho de 2009.
Foi no dia certo, porque ontem se aumentaram as condições para mais rapidamente se proceder ao desmantelamento deste Sistema Politico, que não serve o Povo e empobrece o País.
Foi no dia certo, porque ontem o ar ficou mais limpo e a poluição sonora melhorou consideravelmente. Durante algum tempo não teremos de ouvir falar "Castelhano" para depois se ter de explicar que o nosso 1º ministro só é de facto prolífico e engraçado quando tem que falar em Inglês.
Foi no dia certo, porque os mais jovens têm de começar a ser esclarecidos sobre as verdadeiras finalidades e consequências de um ensino responsável e que não pode ser confundido com "novas oportunidades".
É preciso esclarecer a Juventude que a Formação, o Ensino, a Solidez do Conhecimento não se obtém através de faxes ou por assinaturas de amigos, eles próprios também com pouca formação e sem nenhuma idoneidade. As consequências, depois são visíveis e comprovadas. Referimo-nos a essa triste figura feita pelo nosso primeiro ministro numa cimeira de Chefes de Estado em que com o seu Inglês técnico, caiu no rídiculo e demonstrou a verdadeira essência do ensino que decidiu implantar no País.
Foi no dia certo, porque se irá falar de futuro, e isso é uma coisa que os mais novos não veem. Não sentem. Não confiam.
A Juventude Emergente, com base nas ideias e valores que aqui se defendem, irá ser um espaço aberto a todos os que quiserem colaborar no grande esforço nacional que terá de ser feito para alterar o rumo do País e fazer emergir uma nova sociedade, com gente mais esclarecida e capaz de enfrentar os desígnios desta classe política que ocupou a Europa e domina o País.
A Juventude precisa de perceber o que está em causa e o que poderá fazer para um futuro melhor, que rapidamente é hoje.
Foi no dia certo, porque se dá início a um espaço de diálogo que não é condicionado por partidos ou ideologias e era urgente demonstrar que há vida para lá do condicionamento intelectual em que a nossa sociedade se encontra mergulhada.
Por vezes é preciso estrebuchar e isso os mais jovens fazem-no melhor do que nós.

8 comentários:

Angela Maria disse...

Reparem como Cavaco Silva se demite vergonhosamente das suas funções e vem apelar à recondução de Durão Barroso (!!!) Quanto ao Vítor Constâncio, "coitado", quando sair dali onde arranjará ele um tacho tão bom??? É que a crise toca a todos, e agora há que agarrar o poleiro (mesmo que todo borrado!) a todo o custo!!!
Temos que encontrar uma forma de limpar esta corja o mais depressa possível.

Angela Maria disse...

Parabéns pela iniciativa de congregar os jovens sob o lema da "Emergência". Haja fé na juventude, pois "o resto virá por arrasto".

Da Serra disse...

Já cá faltava a JFE (Juventude Força Emergente).
Afinal, voltamos à cepa torta, à imitação daqueles antigos JS e JSD's que hoje estão no poleiro.
Assim não dá!
Afinal que renovação é essa???
Hummm, não gosto!
Será este o "fatum" português?

juventude emergente disse...

A JUVENTUDE EMERGENTE não pretende ser nenhuma JOTA política. É apenas um sub-grupo etário da FORÇA EMERGENTE, e por isso mesmo, com preocupações diferentes na sua essência mas que a solução se enquadrará nas estratégias de actuação da Força Emergente.

A JUVENTUDE EMERGENTE, mais do que angariar jovens para o seu grupo, pretende, acima de tudo informar adequadamente a camada etária mais jovem, já que as juventudes políticas dos partidos pouco o fazem, pois na maior parte dos casos, procuram lugares para os seus "boys and girls".

Informar sobre a real corrupção e propôr soluções expeditas que ajudem realmente os jovens a acreditar que este país pode ser muito mais do que um bando de ladrões, instalados no poder desde o 25 de Abril.

Aliados em dois poderosos lobbies partidários dois partidos pedem sempre maiorias, acabando por destruir e comprometer a herança económica e social dos portugueses em geral, deixando os jovens sem expectativas algumas de futuro.

pedro m.

Carlos disse...

Caro Da Serra

Complementando a resposta do Pedro m. gostariamos de esclarecer o seguinte:
1º Não criámos a Juventude Força Emergente. Críamos um espaço interactivo chamado Juventude Emergente que não visa qualquer filiação ou agrupamento.
2º Será um espaço de diálogo aberto, sem quaisquer condicionamentos de tipo ideológico.
3º Se chegar a ser um espaço informativo com capacidade de formação, será certamente com base nos valores e objectivos que estão subjacentes a esta associação.
Como sabe, não somos nem pretendemos caminhar para partido político. Aquilo que somos e nos esforçamos por ser cada vez mais, é uma Entidade com capacidade de Intervenção no sistema Político, com vista a pressionar as forças instaladas no sentido de se procederem às alterações exigidas, que por exemplo, devem permitir que ao Povo seja concedido o direito de Eleger ou Demitir, quem não cumpre as promessas eleitorais. É para levar até aos mais jovens mensagens como esta, que foi criado um espaço de diálogo onde as diversas temáticas poderão ser debatidas.
De qualquer forma fez bem em levantar a questão.
Obrigado

juventude-emergente disse...

Obrigado Ângela Maria pelo apoio. Contamos consigo neste espaço de debate que é a JUVENTUDE EMERGENTE.

Da Serra disse...

Caro Carlos,
muito obrigado pelo seu comentário à minha escrita.
Bom, fico satisfeito com o que me disse. Contudo, essa distinção da "Juventude" para a "Não juventude" está implícita no vosso projecto, sem ser necessário "separar as águas".
Talvez seja pela minha incompreensão das juventides partidárias (até aos 30 anos, curiosamente...) com conjuges e filhos...
De qualquer maneira é a vossa opinião, a vossa maneira de seguir em frente.
Felizmente, ainda, por bem ou por mal, vivemos numa sociedade "livrezinha".
Os meus melhores cumprimentos e votos.

orlandomonteiro disse...

A noite trágica



Bem podem os pacóvios, palermas, corruptos e mentirosos afinarem as estratégias nas próximas eleições para continuarem a enganar os cidadãos.



Tirando a tentativa dos mimados funcionários do Estado em infligirem uma “derrota” ao chefe do desgoverno, fica para todos os outros, o sabor amargo de não se poderem desculpar com o bom ou mau tempo que, justifique tanta abstenção, tantos votos brancos e desinteresse a um direito que, já nada de novo e bom trará ao povo.



Restará ao "cara de asno", continuar a procurar o paradeiro das poupanças da família e, tentar curar a azia de tantos tabus desta já nojenta democracia, onde já não se distingue um honesto de um ladrão, um sincero de um aldrabão. Onde se enriquece de um dia para o outro sem trabalho nem produção. Se espezinha a justiça para não se ser julgado. Não se condena para não ser condenado. Não se responsabiliza para não ser responsabilizado. Não se critica para não ser criticado e, não assumindo a posição de chefia, se sente bem a consolar e a servir "gregos e troianos", ficando ainda mais com azia.



O chefe deste desgoverno poderá ter muitos defeitos e feitios mas, sabe que só ganhará mais empatia ao tentar dirigir a banda à vontade dos acomodados e privilegiados desta democracia, e desta forma, ficará também ele com azia.



Como sempre, todos fingem ter ganho mas, foram os eleitos e só eles, que na trágica noite ganharam por uns anos o bem-estar de umas longas férias para fazerem corpo presente num já também moribundo parlamento Europeu.