quarta-feira, 22 de abril de 2009

Rescaldo

A entrevista de José Socrates foi mais um discurso já tantas vezes repetido e uma demonstração da pouca acutilancia dos jornalistas que parecem recear fazer as perguntas que concretamente se impôem. Não está em causa se o Projecto "Freepor" do ponto de vista do cumprimento, mesmo que forçado das normas, respeita ou não as exigências legais impostas. O que se questiona, é se para estar legalizado, houve ou não corrupção. Nem seria sequer problema se tudo se tivesse passado exactamente no ùltimo concelho de Ministros. Se se levantaram suspeitas é por se verem sempre os mesmos protagonistas e os mesmos nomes que vão passando pelos lugares chave da Admistração Publíca. Se de novo se levantam dúvidas é porque um Departamento Inglês de Combate á Fraude indica que houve subornos e escalona uma lista de suspeitos onde se inclui o nome de José Socrates. Se de novo se levantam dúvidas é porque os implicados na movimentação dos dinheiros, o senhor Charles Smith e o senhor Pedro, vêm afirmar que havia um acordo para pagar ao senhor José Socrates, porque ele é corrupto e agora é o 1º ministro de portugal e era uma pessoa muito poderosa e com muitos contactos e era melhor pagar. Como é evidente o senhor josé Socrates não gosta de ouvir isto. Mas não foram os jornalistas nem as televisões que inventaram isto. FORAM AS PESSOAS QUE PARTICIPARAM NO NEGÓCIO. Caso, como o senhor socrates afirma, isto seja uma cabala ou uma campanha negra, ou uma cruz ou outra coisa qualquer, devia de pelo menos chamar á atenção do seu primo, que se ausentou do País, que deveria estar aqui para rebater as informações do sr.Smith que afirma ter sido ele o portador do dinheiro. Se tudo o que o sr.Smith afirma é falso o senhor Sócrates devia de imediato solicitar uma intervenção da Policia de Investigação criminal para confrontar o referido senhor. É que o senhor Socrates é o 1º ministro de um País. E agora nem interessa se legitimamente ou não. O facto é que lamentávelmente ainda não foi demitido e a imagem que passa para o exterior é que somos um País de corruptos. Isto mesmo foi recentemente confirmado por alguem que é do mesmo partido. O que está em causa é a dignidade do Estado. Nenhum estado é digno de o ser, quando o seu 1º ministro é indiciado como suspeito num caso de corrupção por um País estrangeiro e ouvimos uma gravação de um senhor que participou num emprendimento que está sob investigação, dizer que o 1º ministro é corrupto. O minimo que se exigia por uma questão de decência, era o senhor 1º ministro apresentar a demissão e fazer a defesa da honra sem estar a envolver o País neste triste espectáculo que só demonstra o atraso civilizacional a que o País está a ser conduzido.
Ou será que o senhor José Socrates entende que a sua palavra ou a do seu ministro da justiça são suficientes para tenhamos que aceitar aquilo que afirmam ? É que estamos constantemente a ouvir que já tudo foi esclarecido porque o senhor fulano já veio desmentir ou já confirmou, ou já esclareceu etc. Será que estes senhores já assumem que estão fora ou acima do poder judicial? Será que pensam que é suficiente aguentar algum tempo e depois está tudo esquecido ? Homens como Bill Cliton ou Richard Nixon, presidentes dos E.U.A. tambem vieram afirmar que algumas coisas que se diziam eram mentira. Até expuseram os lábios e disseram para o Povo ler. Se bastasse apenas a sua palavra teriam ficado impunes. Mas os presidentes e os primeiros ministros tambem mentem ! Nos E.U.A. isso ficou bem demonstrado.
E aqui?

2 comentários:

a MÁFIA portuguesa disse...

O caso de Sócrates não é isolado. Neste momento o PS está tomado por um bando de caciques e políticos pro-corruptos que defendem que todos os fins justificam os meios, e como pretendem levar este país para um regime totalitário de extrema-direita "socialista" neo-nazi, mentem, roubam, enganam... Sócrates é apenas mais um. Calhou ser Primeiro-ministro porque estrategicamente, no momento político em que foi eleito, o PS estava a apostar no eleitorado de esquerda sensível às suas políticas do Ambiente. Agora prova-se que o Ministério do Ambiente era e será sempre um excelente veículo de corrupção fácil, porque envolve verbas e subsídios astronómicos, muitas vezes sem resultados à vista "palpáveis"...

Força Emergente disse...

A Máfia tem razão
Não queremos confundir o Polvo, com apenas um dos tentáculos. Sabemos perfeitamente que tem várias cabeças e diversas ramificações. Nem atribuimos apenas as culpas a algum pessoal do PS. Há muita gente no PSD que está tanto ou mais atolada no sistema. A situação a que chegámos é da quase total responsabilidade de muitos dirigentes destes dois partidos. A situação no BPN é bem reveladora disso. Muitas outras situações, algumas do conhecimento geral, justificavam que já se tivessem tomado outras medidas e reacções mais sérias, tal tem sido o despudor desta gente que tem feito de nós parvos, pois pensam que somos poucos, fracos e dispersos.
Vão-se enganar redondamente.